Perguntas Frequentes

Como é que me posso inscrever como voluntário?

De forma a organizar todos os voluntários numa única base de dados, pedimos que quem se queira inscrever como voluntário aceda a www.portugalcomvidas.pt e preencha o formulário de inscrição dos voluntários. Após a inscrição, deverá aguardar contacto posterior. As inscrições irão manter-se abertas por tempo indeterminado.

Qualquer pessoa pode se inscrever como voluntário?

 

Não. Dada a situação actual de pandemia, não poderão ser consideradas pessoas com:

  • Sintomas suspeitos de Covid-19 

  • Doença de fase aguda

  • Doentes com patologia crónica (Hipertensão, patologia cardíaca ou pulmonar, diabetes, doenças autoimunes, … )

  • Viagens para fora do país nos últimos 15 dias 

  • Contacto com pessoas com Covid-19

  • Idade inferior a 18 anos

  • Idade superior a 50 anos 

Existe idade mínima ou máxima para ser voluntário?

A idade mínima é de 18 anos e a idade máxima é de 50 anos (inclusive). Contudo, tendo em conta que há uma subida importante da taxa de complicações e de mortalidade com o aumento da idade não aconselhamos a inscrição a maiores de 40 anos.

Que tipo de tarefas são executadas por um voluntário?

As tarefas a desempenhar dependem das necessidades das instituições. Exemplos:

  • Fazer companhia aos idosos

  • Dar apoio psicológico, emocional e espiritual

  • Promover atividades de desenvolvimento pessoal

  • Actividades da vida diária: higiene, vestir, alimentação

  • Lavandaria

  • Cozinha

  • Limpezas

  • Apoio administrativo

  • Transporte de material

Que tipo de formação tem um voluntário?

Será dada prioridade aos voluntários da área da saúde ou com experiência de voluntariado em instituições de apoio ao idoso, ainda que todas as áreas de formação são necessárias e úteis, uma vez que para além dos cuidados de saúde muitas outras tarefas (desde o apoio administrativo à limpeza, passando por muitas outras) podem ser necessárias à instituição.

Independente da experiência e da formação que o voluntário já tenha,  todos os nossos voluntários irão receber formação adequada para participar neste projecto, nomeadamente ao nível de segurança da saúde (vestir e despir o equipamento EPI, cuidados a ter em casa, na instituição e nas deslocações, etc.) e formação a nível psicológico e emocional (comunicar com os idosos e com as suas famílias, postura no lar, gerir emoções e como lidar com o luto, etc).

 

 A COmVIDas assegurará duas sessões de informação (uma geral e uma específica sobre a missão) e uma formação no momento da chegada ao terreno (adaptada à situação concreta do local), sendo que todos os voluntários terão, se necessário, o apoio permanente dos formadores de ambas as áreas (saúde e psicologia) ao longo de toda a sua estadia na missão.

Posso ser voluntário sem ser no terreno?


Sim, há muitas formas de ajudar e nem todos temos que estar no terreno. Podes também candidatar-te como voluntário de logística que são quem garante o encaminhamento dos voluntários para o terreno criando todas as condições logísticas necessárias.

O voluntário no terreno estará devidamente protegido?

A segurança dos voluntários é estritamente importante. Por isso, os voluntários só irão ajudar as instituições de apoio ao idoso, tendo garantida a existência do material de proteção e de higienização adequado. 

Trabalharemos também em estreita colaboração com as autoridades competentes de cada área, no sentido de garantir realização de testes Covid-19 antes dos nossos voluntários irem para o terreno.

Em que localizações são necessários voluntários?

Todos os voluntários, independentemente da sua zona, podem-se inscrever. Tentaremos enviar voluntários para zonas mais próximas das áreas de residência para reduzir o tempo da deslocação. 

O voluntário está coberto por um seguro?

Não. Atendendo às circunstâncias excepcionais decorrentes da pandemia Covid-19 que motivou a criação espontânea e imediata do projecto COmVIDas, não podemos garantir que todas as actividades sejam salvaguardadas, pelo que não nos podemos responsabilizar por quaisquer danos emergentes que ocorram com os voluntários, pedidos de ajuda, ou outras ocorrências/situações (contempla as áreas de saúde, sinistros e outros), bem como não nos responsabilizamos por quaisquer contactos e actos ilícitos, naturalmente alheios ao COmVIDas, que possam advir dessa actividade.

É obrigatório ter transporte próprio?

Não. A razão pela qual perguntamos no formulário se o voluntário tem transporte próprio é para que no momento da criação dos grupos de voluntários, haja pelo menos um voluntário com carro em cada instituição.

Posso ser voluntário por quanto tempo?

Ser voluntário numa instituição de apoio ao idoso é um trabalho exigente, pelo que sugerimos que os voluntários tenham disponibilidade para um período de uma semana de missão na instituição (e, caso haja necessidade, mais 10 dias de quarentena após a missão). No final deste período inicial e caso as condições o permitam, o voluntário pode regressar novamente ao terreno, ainda que sob nova consulta e candidatura ao COmVIDas.

Quantas horas por dia estamos na instituição?

De forma a garantir uma resposta eficaz à ajuda necessária com toda a segurança e conforto, será atribuído a cada voluntário um turno diário. O tempo restante do dia será gerido da melhor maneira pelo COmVIDas para que os voluntários possam alimentar-se, descansar e tratar do que precisarem.

Posso desistir de ser voluntário a meio de uma missão?


Claro. Porque sabemos que ser voluntário numa instituição de apoio ao idoso é um trabalho exigente, poderás sentir a meio da tua missão que não deves continuar. A COmVIDas, através do apoio permanente a nível da área da saúde e da psicologia, garante aos seus voluntários que agilizará a melhor forma de terminares o teu período de ajuda voluntária.

Onde ficamos a dormir?

Os voluntários em missão dormem numa casa perto do local da instituição que apoiam.  Esta casa á atribuída aos voluntários pelo COmVIDas. 

Caso algum voluntário fique doente, serão implementadas medidas de segurança num espaço de isolamento próprio, de forma a não infectar os restantes voluntários.

Temos direito a alimentação e gasolina?

Tudo faremos para garantir a totalidade dos gastos a todos os voluntários.

 

Vou ser testado antes e depois da missão?

Por indicação da DGS, todos os voluntários têm obrigatoriamente que ser testados antes de entrarem ao serviço de uma instituição, pelo que estes testes são obrigatórios e requeridos pelos centros distritais de saúde afetos à instituição onde o voluntário for servir.

Depois da missão, os voluntários não são testados uma vez que consideramos que o contacto ao longo da missão é sempre protegido, pelo que sem necessidade de teste ou quarentena após missão.

Tenho que fazer quarentena obrigatória após a missão?

Se tudo correr sem incidentes e como previsto, não tens que fazer quarentena obrigatória. Consideramos que os voluntários Comvidas, tal como os profissionais de saúde, têm um contato protegido com os utentes, pelo que sem indicação para quarentena. No entanto, caso haja algum acidente ou quebra de segurança em algum momento da
missão, é possível que o SNS considere necessária a quarentena, pelo que é bom estar prevenido com a hipótese
de ser necessária.

É também importante saber que caso o voluntário deseje por sua segurança adicional ou da sua familia, fazer
quarentena profiláctica após a sua missão, o Comvidas garante sempre o alojamento e condições necessárias para
o efeito.

Depois de fazer a inscrição, como é que o voluntário é integrado no projeto?

Três passos até o voluntário ficar integrado no projeto:

  1. Após a inscrição, a mesma será analisada pelo COmVIDas e o voluntário receberá um primeiro email com informação relativa ao projeto. 

  2. O voluntário receberá uma convocatória para uma sessão de informação por zoom (obrigatória).

  3. O voluntário será notificado quando existir um pedido de ajuda por parte de uma instituição em concreto para saber se está disponível para servir nessa missão.
     

Como é que me posso inscrever como instituição?

De forma a organizar todas as instituições numa única base de dados, pedimos que quem se queira inscrever aceda a www.portugalcomvidas.pt e preencha o formulário de inscrição das instituições. Após a inscrição, deverá aguardar contacto posterior por parte do COmVIDas. As inscrições irão manter-se abertas por tempo indeterminado.

Depois de fazer a inscrição, como é que a instituição é integrada no projeto?

Quatro passos até a Instituição ser integrada no projeto:

  1. Após a inscrição, a instituição será analisada o mais rapidamente possível. 

  2. A instituição será contactada de forma a nos conhecermos, responder a questões de ambas as partes e criar um plano de ação.

  3. De seguida iniciaremos o nosso protocolo em coordenação com a instituição – arranjar material de proteção, encontrar alojamento para os voluntários, dar formação na área da psicologia e da segurança na saúde, etc.

  4. Assim que o plano de acção e o respectivo protocolo estiverem aprovados, e as equipas de voluntários fechadas serão enviados os voluntários para os locais.